Projeto de Lei Ordinária: Cidadão Honorário de Curitiba

Concede o Título de Cidadão Honorário de Curitiba à Sra. Marlene Maia de Britez.

Texto

Art. 1º É concedido o Título de Cidadão Honorário de Curitiba à Sra. Marlene Maia de Britez.

Art. 2º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

 

Justificativa

A Sra. Marlene Maia de Britez nasceu em Salvador em 12 de março de 1932. Filha de Haydeé Carvalho Maia e César Maia, teve sua primeira infância na Bahia.

Ainda criança perdeu seu pai biológico e se mudou para o Rio de Janeiro com sua mãe. Na cidade, a Sra. Haydeé conheceu o engenheiro curitibano Ney Rebello Tourinho, filho do General Mário Tourinho, exponente das Forças Armadas no Estado do Paraná e antigo Interventor no Governo Getúlio Vargas.

Depois do casamento de sua mãe com Ney Tourinho, quando Marlene tinha apenas 12 anos, se mudou para Curitiba com a família, onde cresceu, estudou e escreveu a maior parte de sua história.

Iniciou estudos de ballet no Teatro Guaíra em 1944, onde foi aluna e primeira bailarina, adotando o nome artístico de Marlene Tourinho, em homenagem ao seu pai de criação.

Casou-se com o dentista e professor da UFPR, Omar Zardo Britez, no ano de 1945. Com ele, dançou famosos tangos nos bailes realizados nos clubes de Curitiba nas décadas de 40, 50 e 60.  Do casamento tiverem duas filhas, Viviane Tourinho de Britez e Albuquerque e Suzane Tourinho de Britez.

Foi reconhecida como primeira bailarina do Paraná e dançou famosos balés, como Coppelia e A Morte do Cisne.

Graduou-se em Direito pela Universidade Federal do Paraná em 1954 e foi professora de balé na Escola de Dança do Teatro Guaíra por mais de 30 anos, lecionando para inúmeras gerações de bailarinas.

Também foi professora de história da dança e folclore na Faculdade de Artes do Paraná por 20 anos e é poetisa associada a União Brasileira de Trovadores.

Como bailarina, coreógrafa, poetisa e compositora, Marlene Maia de Britez, ou Marlene Tourinho, fez da arte o seu mundo e no mundo fez mais alegrias.

 

Para consultar o Projeto de Lei Completo, clique aqui.