Projeto de Lei Ordinária: Denominação de bem público especificada 

Denomina de Engenheiro Ruy Cavalcanti de Albuquerque, um dos logradouros públicos da Capital, conforme especifica.  

Texto

Art. 1º Fica denominado de Engenheiro Ruy Cavalcanti de Albuquerque, o logradouro público código PS45C.

Art. 2º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

 

Justificativa

Ruy Cavalcanti de Albuquerque nasceu em 30 de janeiro de 1920, na cidade Ribeirão Claro, Paraná, o penúltimo dos sete filhos de Eudoro Cavalcanti de Albuquerque e Amasília Alves Cavalcanti. Chegou a Curitiba ainda moço, com a família, já que seu pai havia sido transferido para Curitiba após ter trabalhado como juíz em diversas comarcas do Estado. Em 1939 de início ao curso de Engenharia Civil na Faculdade Federal do Paraná (UFPR).

Durante seu terceiro ano de curso, em 1942, conheceu a professora Rosani Moro Ferreira, sua futura esposa, no baile de inauguração da sede da Sociedade Thalia, na Rua Comendador Araújo. Depois de algum tempo o casal iniciou uma relação que duraria mais de 60 anos, de onde nasceram os filhos Ruy Jr., Rosi e Rosana. A família acabou aumentando com a chegada das filhas do coração, Eva, Natália, Marli e Cida.

Em 1946, à convite de Rafael Galloti, mudou-se para Roraima, para trabalhar na divisão de Obras do Antigo Território e, posteriormente, lecionar matemática na recém fundada Escola Normal.

Em 1952 voltou permanentemente para Curitiba, à convite do General Luis Carlos Tourinho, para trabalhar no DER, onde desempenhou o trabalho de engenheiro de 1952 a 1972, atuando, inclusive, como fiscal de obras nas construções das Rodovias para Ponta Grossa e Paranaguá.

Lecionou a matéria Estradas e Rodovias, no Curso de Engenharia Civil da UFPR.

Faleceu em Curitiba, aos 86 anos de idade, no ano de 2006, deixando como maior valor uma mensagem de amor, idoneidade e respeito para todos os que tiveram o privilégio de conviver com ele.

Ressalte-se que, em contato com o setor de Cadastro Técnico da PMC, foi realizada a constatação de que o logradouro se encontra disponível para nominação e, ato contínuo, foi requerida a reserva do mesmo, o que foi convalidado pelo setor.

 

Para consultar o Projeto de Lei completo, clique aqui.