O plenário da Câmara Municipal de Curitiba (CMC) acatou a sugestão de Toninho da Farmácia (PDT) que pede estudos urgentes para retirada de uma calha no rio Barigui, localizada entre a Rodovia do Xisto e a linha férrea, próxima às Moradias Vitória Régia, no bairro CIC (203.00114.2019). De acordo com o vereador, “onde foi retirada a curva, ainda existem calhas de captação de água que precisam ser retiradas, pois estão obstruindo a passagem da água, propiciando risco de alagamento nas residências próximas ao local”. 

“Desde 2013, venho discutindo a retirada dessa barreira de contenção de água que tem próximo à Rodovia do Xisto. Uma empresa fez um represamento há muito tempo dentro do rio Barigui e esse represamento, eu creio que contém mais de 1,5 m de água ali para eles fazerem a captação”. O vereador disse que já conversou com o diretor de pontes e drenagens Augusto Meyer sobre o tema. “Recentemente não houve alagamentos nas proximidades da curva da rodovia, mas houve o desespero das famílias que sabem que próximo a essas calhas há um represamento e têm medo que suas casas sejam alagadas”.

“Houve quem perguntasse: 'onde está o Toninho numa hora dessas?' Estavam meus assessores ali na beira do rio monitorando. Eu lutei para tirar a curva e fazer a correção para que não houvesse o alagamento das casas”, afirmou o parlamentar. Segundo ele, a ação preventiva é necessária. De acordo com ele, foram retirados da Rodovia do Xisto mais de 100 caminhões de areia como prevenção. “Eu não estou pedindo que seja prejudicada a empresa que é dona dessa calha de captação”. “A empresa tem espaço para puxar um braço desse rio, para canalizar a água para dentro do seu espaço e tirar a calha que obstrui a passagem das águas do rio. Vai baixar mais de 1,5 m o rio”.  O vereador agradeceu ao Governo do Estado e à prefeitura por trabalharem no sentido de tirar a calha. Jairo Marcelino (PSD) lembrou da criação, por parte do ex-prefeito Jaime Lerner, do canal extravasor para a contenção. Houve oposição, mas ele afirma que a obra acabou com as enchentes na Vila Centenário, nas Vilas Oficinas, no Boqueirão. “Tudo isso foi solucionado há mais de 20 anos. Devemos muito a esses homens por não termos mais enchentes na praça Zacarias, por exemplo”. Ele destacou também a atuação do ex-prefeito Saul Raiz e do atual prefeito Rafael Greca, quando de sua primeira gestão. 

Doações

Fabiane Rosa (DC) sugeriu a criação de um sistema de coleta de doações em favor de entidades filantrópicas de proteção animal com utilidade pública reconhecida através de acréscimo do valor doado no carnê IPTU e ISS (203.00113.2019). “As organizações não-governamentais de proteção animal realizam parte da função que seria do município sem qualquer ônus ao erário gerando economia aos cofres municipais na medida em que promovem castrações, resgate e abrigo de animais abandonados que, de certa forma, são também responsabilidade do poder público”. 

A vereadora sugere que a arrecadação poderia ser feita diretamente nos carnês do IPTU e nos boletos de quitação do ISS, transferindo o valores para as ONGs cadastradas no convênio. O procedimento se daria pelos portais Boa Nota e Emissão de DAM, que poderiam contar com um campo extra que permitisse a opção pela doação. Em resposta ao vereador Serginho do Posto (PSDB), a vereadora esclareceu que se trata de uma doação diferente daquela contida na conta de luz [Fome Zero]. Pela sugestão de Fabiane, os recursos iriam para o Fundo Municipal do Meio Ambiente, que posteriormente os repassariam para as ONGs. O vereador Rogério Campos (PSC) destacou que presenciou, em Foz do Iguaçu, um cidadão catarinense que coletava tampinhas de garrafas plásticas para a castração animal em sua cidade. De acordo com Fabiane, trata-se de campanha similar à que se fazia com o lacre da lata. Estes objetos são coletados e vendidos “mas não basta, pois as ONGs estão lotadas de animais, as adoções estão muito difíceis e a manutenção desses animais é muito cara”, disse Fabiane.

Outras sugestões

Foram também aprovadas as seguintes sugestões: reativação do projeto "Tudo Limpo", de Jairo Marcelino (PSD) (203.00105.2019); realização de estudos para inclusão do Parque Iguaçu/Parque Náutico na Linha Turismo, de Oscalino do Povo (Pode) (203.00106.2019); elaboração e execução de um plano de rotas acessíveis no perímetro central da cidade, de Professor Silberto (MDB) (203.00108.2019);  elaboração e execução de um plano de rotas acessíveis no entorno da Câmara Municipal de Curitiba, de diversos vereadores (203.00110.2019); e criação da Linha Cultural, deDr. Wolmir Aguiar (PSC) (203.00109.2019). 

Fonte: CMC

9999.jpeg