okay.jpeg

Nesta quarta-feira (8), a Câmara Municipal de Curitiba (CMC) recebeu Francisco Reinord Essert, superintendente executivo da Organização Social Gerar, especializada na inserção de pessoas no mercado de trabalho, na Tribuna Livre. O convite partiu do vereador Cristiano Santos (PV), para falar sobre o tema: “Jovem aprendiz legal e estágios no Paraná e Santa Catarina” (076.00006.2019).

O vereador destacou que a OS Gerar existe desde 2003 e promove trabalhos de natureza social, ambiental e cultural. “Lembro da Gerar entrando na Vila Icaraí de peito aberto e fazendo um trabalho de ressocialização com crianças e jovens”, relatou Cristiano Santos. O parlamentar alertou para o fato de que existem atualmente no Brasil, 14 milhões de desempregados, sendo que 250 mil estão no Paraná.

Francisco Essert afirmou que o trabalho desenvolvido pela Gerar com os jovens aprendizes – 20.804 nos últimos dez anos, com 5.749 em sala de aula no momento – tem reflexo em muitos âmbitos, como oferecer às empresas a possibilidade de capacitar sua mão de obra, impedir a evasão escolar, ajudar na manutenção familiar com o salário recebido pelo aprendiz e combater o trabalho infantil. “Para muitos destes jovens, é o primeiro emprego. Na aprendizagem eles definem qual carreira vão seguir”, disse Essert, informando que no Brasil, se 12,7% da população não está conseguindo empregos, a marca dobra no caso dos jovens.

Além dos jovens, a Gerar tem ações voltadas para a população idosa. “Eles podem emprestar seus conhecimentos e mesmo trabalhar”, garantiu. Na carteira de projetos, a Organização Social tem os projetos Super Nova (orientação vocacional para o jovem), Aprova (cursinho pré-vestibular) e Aprendiz Legal. “O apoio do Boticário trouxe uma visão mais empresarial à iniciativa e o envolvimento de Zilda Arns trouxe uma visão social”, salientou Essert.

Participações
Para Julieta Reis (DEM), os jovens precisam de oportunidades., pois “capacidade e inteligência todos têm”. “Eu mesmo participo de alguns grupos de idosos. Eles têm muito a oferecer”, concordou Oscalino do Povo (Podemos), dizendo se sentir confortado pelo fato de existir uma entidade como a Gerar. No entendimento da Professora Josete (PT), os jovens negros estão entre os que mais morrem por ação da polícia. Segundo ela, esses índices podem baixar  com a atuação de uma entidade como a Gerar.

Cristiano Santos, que já direcionou uma emenda parlamentar em prol da Gerar, sugeriu a proposição de uma emenda coletiva para beneficiar a OS. “Somos muito procurados. Em certos dias, chegamos a atender mais de 100 jovens. Infelizmente não há vaga para todos”, relatou Zezinho Sabará (PDT), que mantém uma agência de empregos no bairro onde atua. Para o vereador Serginho do Posto (PSDB), o segredo do sucesso da Gerar consiste na sua transparência.

Francisco Essert agradeceu aos elogios e respondeu que um desafio para a inserção do jovem no mercado de trabalho é que nem todas as empresas cumprem a Lei da Aprendizagem. “Se a legislação fosse seguida, teríamos 1 milhão de oportunidades de emprego, tranquilamente”, garantiu. Edson do Parolin (PSDB) acredita que a atuação de uma instituição como a Gerar pode ser benéfica em áreas periféricas. “O jovem [da periferia] quer trabalhar, procura emprego, mas daí é exigida experiência anterior”, reclamou.

Também se manifestaram sobre o tema os vereadores Tico Kuzma (PROS), Noemia Rocha (MDB), Maria Manfron (PP), Osias Morais (PRB), Ezequias Barros (PRP) e professor Euler (PSD).

Tribuna Livre
Espaço democrático de debates, a Tribuna Livre é prevista no Regimento Interno e ocorre às quartas-feiras, durante a sessão plenária – que inicia às 9h e termina às 12h. As discussões são sugeridas pelos vereadores, que apresentam um requerimento e indicam uma pessoa ou instituição para falar sobre o tema escolhido. A atividade poderá ser acompanhada em tempo real, pelo canal do Legislativo no YouTube.

Fonte: CMC