nova.jpeg

A Comissão de Educação, Cultura e Turismo acatou a proposta do presidente do colegiado, Marcos Vieira (PDT), para que a Câmara Municipal de Curitiba (CMC) realize no dia 17 de junho uma audiência pública sobre a alteração na Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Curitiba (59/2006). Segundo Vieira, a solicitação para o debate partiu da presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos e Diversão (Sated), Eliane Berger.

O colegiado também acatou, durante a reunião desta terça-feira (7), três proposições legislativas em pauta. Duas delas referem-se a nomes de rua. A primeira, indicada por Julieta Reis (DEM), homenageia Leila Izzat Hajar (009.00008.2019). Nascida em Paranaguá em 1962, era filha de libaneses dedicados ao comércio. Aos 17 anos, casou-se com Ismail Ahmad Said Hajar, quando veio morar em Curitiba. Formou-se em Psicologia e especializou-se em psicologia corporal reichiana, sendo uma precursora na área no Paraná. Dentre suas pesquisas e obras destacam-se "Psiconeuroimunologia e Psicologia Corporal", "Interdisciplinaridade no entendimento das cardiopatias" e "Estudos de Casos Clínicos por Abordagem Sistêmica". Leila Hajar faleceu aos 50 anos, em 2012.

O colegiado também aprovou a indicação de Serginho do Posto (PSDB) para homenagear, por meio de denominação de bem público, a Pedro Paulo Rosa (009.00010.2019). Conhecido como Sr. Pedrão ou Pepé, nasceu em Curitibanos (SC), em 1947. Trabalhou na construção de ferrovias e aeroportos pelo Brasil, mas fixou sua residência na capital paranaense, no bairro Cajuru. Pedro Paulo Rosa faleceu em 2018. Foi aceita ainda, pela comissão, a indicação de Katia Dittrich (Solidariedade) para que Liliamar Hoça receba o prêmio Professor João Crisóstomo Arns (026.00002.2019).

Fonte: CMC