11 abril.jpeg

Nesta quarta-feira (10), a Câmara Municipal de Curitiba (CMC) recebeu a visita durante a Tribuna Livre do coronel Péricles de Matos, comandante geral da Polícia Militar do Paraná. O militar veio à Casa para realizar uma prestação de contas das atividades da corporação. O convidado foi saudado pelo presidente da Câmara, vereador Sabino Picolo (DEM). O parlamentar agradeceu ao coronel pelo apoio dado ao plano para aumentar a segurança na praça Eufrásio Correia. “Já vimos uma viatura no local e sabemos que há a intenção de manter uma viatura, senão permanente, quase todos os dias”.

Péricles anunciou a diminuição do homicídio em Curitiba em 37% e a redução desse delito em todo o estado do Paraná em 19%. “Nós cientificamente racionalizamos o emprego policial nos pontos que realmente demandam sem negligenciarmos a parte preventiva”. Ainda de acordo com o comandante, houve uma redução de 25 mil roubos e furtos no estado em 2018. Péricles disse que os vereadores poderiam informar à PM os locais com maiores problemas de segurança, para que a entidade possa encaminhar seus módulos móveis.

O convidado explicou que a Polícia militar atende 11 milhões de cidadãos no estado do Paraná. São 9.900 policiais trabalhando 24 horas por dia. Em Curitiba, que tem 1,9 milhão de habitantes (3,3 mi contando as cidades da Região Metropolitana), são 4 batalhões operacionais mais o Bptran e o Regimento de Cavalaria. “Nós temos uma boa proporção de policiais por habitante e, no momento, já tivemos aceno do governador [Ratinho Junior] de que haverá uma nova contratação de policiais militares”. Além de prestar serviços à comunidade, a Polícia Militar também apoia o Poder Judiciário, o Legislativo, outras entidades do Executivo Estadual, o Ministério Público, e também prefeituras, principalmente em atividades assistenciais”, explicou o oficial. Para ele, a vocação da polícia é a de garantir os direitos da população.

O comandante da Polícia Militar destacou o aplicativo 190, pelo qual o cidadão pode reportar as demandas. De acordo com o militar, são 22.713 chamados ao mês, 747 por dia, 31 por hora. “Com esse instrumento podemos dar muito mais celeridade no atendimento ao cidadão”, disse ele que complementou: “estamos também desenvolvendo aplicativos para atender mulheres na perspectiva da Lei Maria da Penha”.
 
Perguntas dos vereadores
Professor Euler (PSD) questionou o comandante sobre as vagas para o Curso de Formação de Oficiais. Péricles disse que as vagas foram aumentadas de 16 para 32 e há a perspectiva de que se abram outras 90. “Da mesma forma, já temos tratativas sobre o concurso para soldados”, disse o coronel. Ezequias Barros (PRP) constatou que, de fato, o número de viaturas e de soldados pelos bairros aumentou. Serginho do Posto (PSDB) agradeceu ao coronel pelo apoio dado durante a votação do Plano de Recuperação Fiscal, em 2017. Bruno Pessuti (PSD) destacou que em 2010 foi aprovada pela Assembleia Legislativa o projeto de reestruturação da Polícia Militar. Ele também parabenizou o comandante da entidade pelo aplicativo 190, “uma forma muito mais rápida que o telefone, mas o telefone continuará existindo”, garantiu ele.

Dr. Wolmir (PSC) alertou para o problema dos trotes nas comunicações de delitos. Em resposta, Péricles observou que recentemente dois policiais saíram feridos atendendo uma chamada que era um trote. Jairo Marcelino (PSD) parabenizou o coronel por sua intervenção no sentido da não extinção do Colégio da Guarda Mirim, que atualmente conta com aproximadamente mil alunos. No entendimento de Mauro Bobato (Pode), o ideal seria que todos os jovens passassem um período servindo numa entidade militar.  O coronel explicou, em resposta a Katia Dittrich (SD), que os animais mantidos pela Polícia Militar têm seus direitos respeitados. Ele mencionou, como exemplo, os dois cães que estiveram auxiliando no incidente de Brumadinho. Eles, como os humanos, passaram por exames de sangue, já que estiveram em contato com substâncias químicas nocivas. Rogério Campos (PSC) sugeriu a concessão da cidadania honorária de Curitiba ao coronel.

Geovane Fernandes (PTB) perguntou sobre o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd). Marcos Vieira (PDT) comentou sobre a “patrulha comercial”, uma iniciativa que envolvia a PM e comerciantes via aplicativo Whatsapp. Em resposta a Professor Silberto (MDB), o comandante da PM disse que o programa “Escola Segura” consiste em trazer para as escolas policiais aposentados. Ele também comentou que a “patrulha escolar” se ocupa desde questões como a iluminação da escola até se há traficantes na região.

Cristiano Santos (PV), indagou sobre o caso de Daniela Eduardo Alves, que foi vítima de violência doméstica. Vizinhos ligaram para a delegacia de Fazenda Rio Grande, mas não foram atendidos. A polícia alegou que todas as viaturas estavam ocupadas naquele momento. “Reorganizamos uma matriz de emergência de modo que tenhamos velocidade maior para atendimento. O episódio aconteceu na segunda semana do atual governo. Estamos respondendo com as mudanças necessárias”, afirmou Péricles.

Tico Kuzma (Pros) pediu apoio na construção da nova sede da 3ª Companhia do 13º Batalhão, atualmente situada numa sede provisória, atendendo Capão Raso, Pinheirinho e Xaxim. Herivelto Oliveira (PPS) comentou que já não há mais a ronda preventiva nos bairros, que os policiais nos módulos só podem agir quando acontece um fato delituoso. Mauro Ignácio (PSB) lembrou de uma demanda da regional Santa Felicidade, da instalação de um batalhão no bairro São Braz. Paulo Rink (PR) destacou a aplicação da biometria em estádios de futebol, uma atividade da Polícia Militar em parceria com os clubes.

App
Durante o pequeno expediente, Bruno Pessuti (PSD) prestou uma homenagem aos bombeiros e convidou o coronel Samuel Prestes, comandante do Corpo de Bombeiros para que falasse sobre o novo aplicativo da entidade. A ideia, segundo ele, é que com o aplicativo “Bombeiros Paraná”, seja prestado um serviço de qualidade, de forma rápida e com atendimento humanitário. Seu funcionamento se dá por meio do aviso CAP (sigla em inglês que significa Protocolo de Alerta Comum).

Fonte: CMC