diretores.jpeg

O presidente da Câmara Municipal de Curitiba, Serginho do Posto (PSDB), renovou a participação do Legislativo no Movimento Paraná Sem Corrupção, iniciativa do Ministério Público do Paraná (MP-PR). Válido por 60 meses, o convênio foi firmado com o procurador-geral de Justiça, Ivonei Sfoggia. O promotor Eduardo Cambi, coordenador do programa, também acompanhou a assinatura.

Segundo o termo de adesão, a Câmara de Curitiba se compromete a apoiar e promover o combate à corrupção, assim como a disseminação de uma cultura baseada na honestidade, na dignidade, em princípios éticos, na participação social e no exercício pleno da cidadania. A Casa deverá fazer, por exemplo, campanhas e eventos direcionados a esses temas. Não há repasses de recursos entre os parceiros.

“A Câmara tem mudado conceitos, processos. E o resultado tem sido positivo. A prioridade administrativa [da atual gestão do Legislativo] é a economicidade”, pontuou Serginho do Posto. “A gente tirou da população a visão que as coisas não funcionam, que [a Casa] é ambiente de corrupção. Estamos aumentando a transparência. E este é um termo muito positivo, com um significado muito grande”, acrescentou.

O presidente também destacou o quadro de servidores da Câmara de Curitiba, que tem “profissionais com compromisso com a cidade, com a responsabilidade administrativa”, e a “parceria estratégica” com o Ministério Público do Paraná. “Sempre somos ouvidos e muitas vezes auxiliados”, afirmou Serginho do Posto.

“Fico feliz que a Câmara tenha esta mentalidade. Combater é evitar que a corrupção aconteça. É importante que o presidente da Câmara tenha essa visão”, avaliou o procurador-geral de Justiça. No mesmo sentido, Cambi disse que o Movimento Paraná Sem Corrupção tem caráter preventivo. “O apoio da Câmara de Curitiba é importante. Para nós [MP-PR] é mais difícil depois processar e tentar reaver dinheiro público. É melhor que não aconteça, que as regras sejam cumpridas”, declarou o coordenador da iniciativa.

O Movimento Paraná sem Corrupção foi criado pelo MP-PR em maio de 2012, como uma articulação contra a corrupção. Há, entre os parceiros, órgãos públicos, instituições de ensino, entidades da sociedade civil organizada, empresários e cidadãos. A Câmara de Curitiba aderiu pela primeira vez à iniciativa em abril de 2013, e o convênio também teve a validade de 60 meses. A Casa foi o primeiro Legislativo do Paraná a assinar a parceria.

A gestão, o acompanhamento e o controle dos trabalhos desenvolvidos a partir do convênio ficarão sob a responsabilidade da controladora do Legislativo, Heloise Marchesini Altheia, e da diretora da Procuradoria Jurídica (Projuris), Waléria Christina Maida. A assinatura do termo, na sede do MP-PR, foi acompanhada por Heloise e pelo assessor econômico-financeiro da Controladoria, Marco Antonio Busnardo; pelo diretor-geral da Casa, Nilton Cordoni; pela diretora contábil-financeira, Aline Bogo; pelo diretor de Licitações, Roberval Donizete Moreira; pela diretora de Apoio às Comissões, Jussana Carla Marques; pelo diretor de Patrimônio e Serviços Auxiliares, Charles Taborda Paz; e pelo diretor de Segurança, Reginaldo de Carvalho.

Fonte: CMC