homenagem.jpeg

O prêmio Pablo Neruda de Direitos Humanos 2017 e 2018 foi entregue pela Câmara Municipal de Curitiba (CMC) na noite desta quarta-feira (5) a 28 personalidades e entidades sem fins lucrativos que se destacaram na luta pelo direito à liberdade ideológica, de credo religioso, de opinião, pela democracia e pela justiça social. A sessão solene, que ocorreu no Palácio Rio Branco, foi conduzida pelo presidente da Casa, vereador Serginho do Posto (PSDB) e contou com a presença de diversos vereadores.

Serginho parabenizou todos os homenageados, especialmente Alexandre Salomão, da diretoria da Ordem dos Advogados do Brasil Seção Paraná (OAB/PR), por ter, em 2017, acompanhado e auxiliado o Legislativo no diálogo com servidores durante o processo de votação dos projetos de ajuste fiscal propostos pelo Executivo. “Nos momentos mais difíceis que essa Câmara passou no ano passado ele acompanhou e ajudou a construir um diálogo permanente com os servidores públicos.”

O presidente também afirmou que a Câmara tem ampliado a transparência. “Não temos atos secretos, as licitações da Câmara agora são transmitidas ao vivo e em breve teremos um novo portal de transparência que acredito que muitas instituições ainda não possuem, com informações sobre gastos da estrutura organizacional e todo trabalho do Legislativo.” Ele lembrou aos presentes que a sessão solene foi transmitida ao vivo pelo canal da instituição no youtube, assim como todos os eventos que ocorrem no plenário.

A honraria Pablo Neruda é entregue pelo Legislativo há 14 anos e sempre é realizada em datas próximas a 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. Instituída pela lei municipal 11.258/2004, hoje revogada, atualmente é regulamentada pela lei complementar 109/2018, que unificou as homenagens da CMC.

O vereador Tito Zeglin (PDT) fez a saudação aos homenageados em nome da Câmara e lembrou que o prêmio leva o nome de “um dos poetas mais importantes da literatura universal”. “Como político e diplomata, Pablo Neruda tratou de temas como a liberdade e a opressão. Trabalho e escravidão. E exatamente inspirado nesta história de lutas, o parlamento curitibano aprovou a lei que instituiu esta premiação para agraciar aqueles que se dedicam a causas tão nobres.”

A escritora, jornalista e teóloga Anelise Rodrigues falou em nome dos homenageados. “Acredito que almas nobres são aquelas que se doam e é por isso que, como jornalista, eu escrevi o livro 'Diário de uma missão' [onde relata suas experiências e os desafios enfrentados em uma expedição como missionária voluntária no Equador], com o objetivo de trazer alguma alento a pessoas que vivem em situação de pobreza extrema. Acredito que cada um de vocês tem a sua história de tempo de dedicação, doação de conhecimento e certamente essa homenagem é um incentivo para continuar fazendo o que fazemos.”

Homenageados de 2018
Este ano, 16 indicados receberam o prêmio Pablo Neruda: Alexandre Coelho Rodrigues (indicado por Oscalino do Povo, Pode); Alexandre Salomão (por Katia Dittrich, SD); Altieres Edemar Frei (por Goura, PDT); Alzira Isabel Steckel (por Zezinho Sabará, PDT); Ana Maria Macedo (por Fabiane Rosa (DC); Barbara Machioro Pagliosa (por Paulo Rink, PR); Cáritas Brasileira Regional Paraná (por Tito Zeglin, PDT); Central Única das Favelas (por Professor Euler, PSD); Gessi Borrher dos Anjos (por Thiago Ferro, PSDB); Graziella Maria Colombo (por Julieta Reis, DEM); Instituto Ciência e Fé (por Marcos Vieira, PDT); Instituto Mude (por Noemia Rocha, MDB); Rogério de Oliveira Amorim (por Dr. Wolmir Aguiar, PSC); Sheila Marize Toledo Pereira (por Professor Silberto, MDB); Solange Colnaghi Ribeiro (por Felipe Braga Côres, PSD); e Thiago Aguilar Massolin (por Ezequias Barros, PRP).

Homenageados de 2017
Em 2017, 12 indicações foram feitas pelos vereadores. Foram agraciados: Anelise Rodrigues (indicada por Dr. Wolmir Aguiar, PSC); Antonio Luiz Martins Reis (Katia Dittrich, SD); Associação Beneficente Encontro com Deus (Paulo Rink, PR); Associação Beneficente Kalahari (Maria Manfron, PP); Casa Pró-Vida Mãe Imaculada (Tito Zeglin, PDT); Cicero Manoel Bezerra (por Noemia Rocha, MDB); Maria Elisa Paciornik (Julieta Reis, DEM); Maurilia Targino Martins (Ezequias Barros, PRP); Niuza Oliveira Simei (Bruno Pessuti, PSD); Organização Internacional TETO-Brasil (Professor Euler, PSD); Renê Jorge Bonato (Oscalino do Povo, Pode); e Ubirajara Zoccoli (Goura, PDT).

Fonte: CMC