A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) aprovou, em primeiro turno unânime, a declaração de utilidade pública ao Maestro Esporte Clube, razão social da entidade que oferta aulas gratuitas de futebol a crianças e adolescentes de 5 a 14 anos, estudantes de escolas públicas. Lançada neste ano, o projeto Maestro da Bola é desenvolvido pelo ex-jogador Ricardinho – natural de São Paulo (SP), mas criado na cidade e revelado pelo Paraná Clube. O projeto é de autoria de Helio Wirbiski (PPS). O plenário também acatou, nesta terça-feira (11), quatro mensagens do prefeito e uma proposição da Comissão de Educação, Cultura e Turismo, em segundas votações.

“Todos vocês ouviram falar ou conheceram o Ricardinho. Ele teve um nome muito importante no futebol brasileiro. Uma pessoa digna, que marcou seu nome no futebol. Que achou que seu legado não devia parar por aí. Então montou o projeto Maestro da Bola”, disse Wirbiski. O vereador destacou que o projeto, apoiado pela Prefeitura de Curitiba e pela iniciativa privada, começou no bairro Uberaba, na praça Caio Júnior. Hoje está presente em diversos bairros, como Fazendinha, Tatuquara, Pinheirinho, Boa Vista e Santa Felicidade, e atende cerca de 750 estudantes no contraturno escolar, com a proposta de inclusão pelo esporte.

“A ideia não é necessariamente revelar atletas, mas proteger estas crianças, incentivando o estudo e que eles pratiquem um esporte. O esporte traz segurança, traz orientação, espírito de equipe, ajuda na área da saúde”, continuou Wirbiski. A meta é atender 1 mil crianças e adolescentes. O jovem envolvido com o esporte, apontou o também ex-jogador Paulo Rink (PR), “não está na rua, usando drogas, com tempo ocioso”. “Essas entidades têm que ser enaltecidas, reconhecidas na Câmara, pelo papel social prestado à cidade de Curitiba.”

Rink também lembrou que Ricardinho, além do Paraná, teve passagem por equipes como o Corinthians, onde conquistou um Mundial de Clubes, e pela Seleção Brasileira, pela qual foi pentacampeão mundial, em 2002. Tico Kuzma (Pros) citou que o ex-jogador era conhecido em campo como maestro – daí o nome do projeto social. “Ser nobre no esporte é fazer este atendimento [a crianças e adolescentes]”, comentou o presidente da Casa, Serginho do Posto (PSDB). “O governo não dá conta de atender todas as demandas [sociais]. Se não houvesse estas entidades, podem ter certeza que teríamos uma deficiência muito maior”, completou.

“O esporte é significativo em qualquer idade”, disse Oscalino do Povo (Pode). Pier Petruzziello (PTB), por sua vez, enalteceu ex-atletas de sucesso que agora mantêm projetos sociais, a exemplo do Maestro da Bola. “Como professor e diretor de escola que fui, posso dizer que o esporte muda a realidade de uma comunidade”, declarou Professor Silberto (MDB). Os vereadores Felipe Braga Côrtes (PSD), Jairo Marcelino (PSD), Marcos Vieira (PDT), Mauro Bobato (Pode), Noemia Rocha (MDB), Tito Zeglin (PDT) e Zezinho Sabará (PDT) também declararam apoio à utilidade pública. Rosely e Marcelo Pozzi Rodrigues, mãe e irmão de Ricardinho, acompanharam a votação.

Consagração pública
Da Comissão de Educação, Cultura e Turismo, o plenário acatou, em segunda votação unânime, o projeto de decreto legislativo com os 20 indicados pelos vereadores ao prêmio Consagração Pública Municipal. A honraria é entregue pela CMC a empresas e entidades sem fins lucrativos de destaque no cenário curitibano.

Fonte: CMC