12.jpeg

Marcos Vieira (PDT) ocupou a tribuna da Câmara Municipal de Curitiba (CMC) nesta quarta-feira (7) para falar sobre o fechamento da passagem de nível nas Moradias Novo Horizonte, no bairro Ganchinho. De acordo com o vereador, quando a comunidade foi inaugurada, não havia acesso ao equipamentos públicos. Atualmente, esse acesso é pela rua Nova Esperança, onde está localizada uma passagem de nível ferroviário, que deverá ser interditada em breve.

“Há 20 anos a população se mobiliza para que seja regularizada essa passagem”, explicou Vieira. Segundo ele, recentemente a Rumo – empresa que detém a concessão da ferrovia – emitiu uma carta informando que, em 90 dias, fará a interdição da via e retirada da passagem. O vereador exibiu em plenário um vídeo do local no qual fica evidente o grande trânsito de veículos e de pedestres.

Marcos Vieira relatou que, de acordo com o Corpo de Bombeiros, o atendimento aos moradores da região poderá demorar 8 a 10 minutos a mais, caso a passagem de nível seja efetivamente fechada. “Vai congestionar o trânsito na [rua] Guaçuí, que já é um caos, complicando ainda mais a situação”, completou.

Para Serginho do Posto (PSDB), presidente da CMC, a questão levantada pelo parlamentar é importante. Ele citou o caso da Ecovia, concessionária que sofreu uma representação do seu mandato junto ao Ministério Público do Paraná há 12 anos por não cumpre o que está estabelecido no contrato. “Somente agora eles estão fazendo três intervenções urbanas [na BR 277] e em função das nossas audiências”. Com relação à Rumo, ele disse ser o caso de acionar o Ministério Público Federal. “Nem a limpeza e as manutenções básicas eles fazem. Eles não têm compromisso com as comunidades”, declarou.

A notícia foi atualizada às 10h49 de 12 de novembro de 2018.

Fonte: CMC