Na sessão plenária desta segunda-feira (2), a Câmara de Curitiba aprovou em segundo turno, com 34 votos favoráveis, o projeto de lei de autoria do vereador Dr. Wolmir Aguiar (PSC) que inclui no calendário oficial de eventos de Curitiba a campanha Outubro Rosa. A matéria (005.00051.2017 com substitutivo geral 031.00025.2017) segue agora para a sanção do prefeito.

Dr. Wolmir agradeceu o apoio dos demais vereadores e trouxe alguns dados sobre o tema. “Pesquisamos o porquê do Outubro Rosa e da fita rosa”, disse. De acordo com ele, a prática teve início nos Estados Unidos durante a década de 1990. “Vários estados americanos faziam campanha no mês de outubro para conscientizar as mulheres sobre a mamografia. Até que em 1990, o Congresso americano promulgou uma lei criando o Outubro Rosa”, conta. “No mesmo ano, a fundação Susan – atuante no combate ao câncer de mama – realizou uma corrida pela conscientização sobre o tema e distribuiu aos participantes fitas rosas”.

“Em 1997”, explicou o vereador, “vários estados americanos iluminaram seus prédios e monumentos com a cor rosa e com laços rosa”. De acordo com Dr. Wolmir, no Brasil, a tradição do Outubro Rosa teve início em 2002, quando o Mausoléu do Soldado Constitucionalista, em São Paulo, foi iluminado com a mesma cor. A prática foi adotada em outros estados, a partir de 2007. Para Dr. Wolmir, a importância do projeto vai além da simples iluminação de prédios e monumentos. “É necessário que o Executivo invista na campanha, principalmente no que diz respeito ao diagnóstico. Só na região sul, 13% das mulheres são acometidas por este mal”.

O vereador Ezequias Barros (PRP) destacou que só não perdeu sua esposa para o câncer de mama, há oito anos, porque ela teve o diagnóstico no momento certo. “Se fosse seis meses depois, ela poderia não estar viva hoje”, disse o parlamentar que reforçou a importância da campanha. Para Osias Moraes (PRB), “precisamos trazer esse assunto à baila para que o tratamento seja efetivo. É importante que façamos essas ações de conscientização”, disse o vereador que complementou que há também casos de homens que foram diagnosticados com câncer de mama.

Maria Manfron (PP) entende que o projeto é bastante louvável. “Já é provado que a cura, caso o câncer seja diagnosticado a tempo, é de 100%. Devemos incentivar as pessoas a se interessarem pelo tema e buscarem seus diagnósticos”. Thiago Ferro (PSDB) revelou que sua mãe também teve câncer de mama, mas venceu a doença. “Porque foi diagnosticada a tempo. Parabéns pela inciativa”.

“Fica registrado aqui todo nosso apoio a todas as mulheres, pois neste mês comemoramos o Outubro Rosa, um mês de prevenção em que as atenções estão voltadas para a saúde das mulheres de forma mais especial, com vários programas e ações desenvolvidas por várias instituições. E a Câmara Municipal, também neste mês, está atenta a este problema de saúde pública muito sério no país e no mundo”, declarou Serginho do Posto (PSDB), presidente da Casa. Fitas de cor rosa foram distribuídas no plenário da Casa, por iniciativa do Setor de Medicina e Saúde Ocupacional da Câmara e também pelo mandato do Dr. Wolmir Aguiar.

O projeto passou por um pedido de urgência, feito pelo seu autor, que justificou a medida com o fato de que houve um atraso de quatro meses por parte da Procuradoria Jurídica da Casa. Além disso, segundo ele, o projeto estava parado na Comissão de Serviço Público há 45 dias.

Fonte: CMC